1. O que é o projeto Escola do Sentimento?

É um projeto pedagógico de transformação da escola em uma escola inovadora, criativa, participativa e humanizada, envolvendo gestores, coordenadores pedagógicos, professores, pessoal de apoio escolar, alunos, pais e responsáveis e agentes comunitários, numa visão educacional global, dinâmica, centrada na aprendizagem cognitiva e emocional dos educandos.

2 . Qual é a diferença que o projeto Escola do Sentimento fará na minha escola?

Seguindo o projeto Escola do Sentimento, sua escola fará dos professores orientadores e facilitadores da aprendizagem; as salas de aula se transformarão em espaços de aprendizagem coletiva; as avaliações serão integrais e contínuas, sem necessidade da aplicação de provas e notas; o desenvolvimento dos alunos levará em conta não apenas a aquisição de conhecimentos, mas igualmente o desenvolvimento e práticas comportamentais (atitudinais), entre outras práticas pedagógicas inovadoras.

3. Existe respaldo legal para minha escola ser uma Escola do Sentimento?

Sim. Na Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB) temos os seguintes artigos que permitem a transformação da sua escola mediante a implantação do projeto Escola do Sentimento:

Art. 12.

Os estabelecimentos de ensino, respeitadas as normas comuns e as do seu sistema de ensino, terão a incumbência de:

I – elaborar e executar sua proposta pedagógica;

II – administrar seu pessoal e seus recursos materiais e financeiros.

Art. 15.

Os sistemas de ensino assegurarão às unidades escolares públicas de educação básica que os integram progressivos graus de autonomia pedagógica e administrativa e de gestão financeira, observadas as normas gerais de direito financeiro público.

Art. 23.

A educação básica poderá organizar-se em séries anuais, períodos semestrais, ciclos, alternância regular de períodos de estudos, grupos não seriados, com base na idade, na competência e em outros critérios, ou por forma diversa de organização, sempre que o interesse do processo de aprendizagem assim o recomendar.

Art. 24.

V – a verificação do rendimento escolar observará os seguintes critérios:

a) avaliação contínua e cumulativa do desempenho do aluno, com prevalência dos aspectos qualitativos sobre os quantitativos e dos resultados ao longo do período sobre os de eventuais provas finais.

Como podemos observar, a lei dá autonomia administrativa, financeira e pedagógica para a escola fazer diferente, como propomos no projeto Escola do Sentimento.

4. Existe alguma escola que já tenha desenvolvido o projeto Escola do Sentimento?

Sim. Temos o Centro Educacional Conhecer, da cidade de Leopoldina, MG, escola parceira do Ibem Educa, que no ano de 2016 foi reconhecida oficialmente pelo Ministério da Educação como “escola inovadora e criativa da educação básica brasileira.”

5. E existem outras escolas que também podem ser consideradas escolas inovadoras?

Sim. Tanto escolas particulares quanto públicas. Podemos citar, entre várias escolas espalhadas pelo território nacional, a EMEF Amorim Lima (São Paulo), a Escola da Serra (Belo Horizonte), o Projeto Âncora (Cotia), a EMEF Campos Salles (São Paulo). No site do Movimento de Inovação da Educação (www.movinovacaonaeducacao.org.br) podemos encontrar uma lista de mais de cem escolas e também organizações civis que são consideradas inovadoras e criativas.

6. Qual o papel dos pais no projeto Escola do Sentimento?

Os pais, e responsáveis, têm ampla participação, podendo voluntariamente auxiliar os professores, discutir o projeto pedagógico em assembleias, dar ideias, além de dinamizar o acompanhamento dos seus filhos no lar, conforme as diretrizes pedagógicas estabelecidas pelo projeto.

7. E qual é o papel dos agentes comunitários?

A escola está inserida numa comunidade, portanto não pode ficar alheia ao seu entorno, pois a escola são pessoas, e pessoas devem interagir. Levar os alunos para conhecer as diversas atividades sociais, comerciais e industriais; apadrinhar, por exemplo, uma praça, trazer para dentro da escola serviços de yoga, meditação, artesanato, panificação, tecnologia da informação, artes a partir de agentes comunitários, faz parte da proposta do projeto Escola do Sentimento.

8. Como será a atuação dos professores?

Os professores passarão a serem orientadores e facilitadores do processo de aprendizagem dos alunos, fazendo com que eles trabalhem formando grupos de estudo e pesquisa, realizando rodas de conversa interativas, entre outras atividades. O professor deixará de dar aula (de ensinar) e transformará a sala de aula em espaço de aprendizagem coletiva.

9. Como ficam os projetos e atividades que a escola já desenvolve?

Eles serão incorporados ou adequados paulatinamente ao projeto Escola do Sentimento. Nada se perde, pois a implementação do projeto Escola do Sentimento é feito de acordo com as características da escola.

10. Como a equipe pedagógica do Ibem Educa trabalha para desenvolver o projeto Escola do Sentimento?

Os educadores do Ibem Educa visitam a escola, conhecem o seu trabalho e preparam uma proposta adequada à escola, seguindo um passo a passo que você conhece no link Fazendo a Escola do Sentimento na Sua Escola.

11. Há necessidade de adequação do projeto pedagógico e do regimento interno da escola?

Sim. Isso será feito num trabalho cooperativo entre a equipe do Ibem Educa e a equipe pedagógica da escola, a partir de um modelo de projeto pedagógico e de regimento interno que será apresentado pelo Ibem Educa.

12. Quanto custa desenvolver o projeto Escola do Sentimento na minha escola?

Para cada escola, dependendo do número de professores e alunos e dos segmentos de ensino em que atue, o Ibem Educa apresentará orçamento compatível com as necessidades detectadas e a realidade da escola.

Se você tiver ainda alguma dúvida, o Ibem Educa está ao seu dispor para fazer os esclarecimentos necessários. Para isso, utilize um dos nossos canais de comunicação para enviar suas dúvidas:

E-mail: informa@ibemeduca.com.br

Whatsapp: (21) 96470-2436